Moradores reclamam de mato e falta de equipamentos em praça de Mogi

  • 19/02/2017
(Foto: Reprodução)
Praça não tem equipamentos de lazer, reclamam moradores. Local será incluído para estudo na ampliação de ATIs, diz Prefeitura. Com mato alto, praça deixou de ser área de lazer, diz moradora (Foto: Ana Beatriz de Souza Jeronimo/VC no G1) Quem mora no bairro Vila Caputera, em Mogi das Cruzes, já está acostumado a ver o mato alto na Praça Voluntário Benedito Evilásio de Freitas. Segundo a internauta Ana Beatriz de Souza Jeronimo, que enviou imagens por meio da ferramenta colaborativa VC no G1, o local recebeu manutenção básica há cerca de três meses, mas é comum que as limpezas demorem ainda mais para serem realizadas. Com o mato alto e o lixo jogado por outros moradores, a área deixou de ser uma alternativa de lazer. De acordo com a Prefeitura, o espaço já está na programação de manutenção de março, quando equipes farão os trabalhos necessários. "O bairro é cheio de criança. Quando o mato estava baixo, eles até brincavam bastante na praça. Com o mato alto, ficam sem saber o que fazer", reclama Ana. A moradora diz que a praça é simples. Não tem Academia da Terceira Idade (ATI) ou brinquedos para crianças. A única quadra, com chão de terra, está sendo tomada pelo mato. saiba mais Moradores reclamam de mato alto em bairros de Mogi das Cruzes Pais reclamam de abandono em escolas de Mogi das Cruzes Sem coleta, moradores andam 3 km para descartar lixo em Guararema Sem outra opção de lazer no bairro, o espaço faz falta, afirma a moradora. "Tem outra praça aqui perto, mas fica no Jardim Camila e não compensa ir até lá. O pessoal já não tem o que fazer aqui. Só tinha essa praça". A moradora Valéria Aderaldo de Souza também sente falta de uma área de lazer no local. Ela conta que vive no bairro há cerca de 15 anos e é comum ver o estado de abandono. "Sempre que o mato cresce e fica desse jeito, temos que reclamar com a Prefeitura para alguém vir limpar. É um descaso", reclama. "A praça tem uma quadra de chão batido. Já teve balanço, mas sem manutenção, foi estragando tudo". Além do mato alto e a falta de equipamentos de lazer no palco, outros problemas causam preocupação em quem vive no local. "Vem gente de noite e joga sofá velho, lixo, na praça. Com o tempo, foi acumulando bicho. Vem barata e rato para a casa da gente. Sem contar os usuários de droga que se escondem no mato", diz Valéria. Ana conta que os moradores já procuraram a Prefeitura, mas o problema ainda não foi resolvido. "A gente liga ou entra no site da Prefeitura, eles passam um número de protocolo e falam que vão resolver. Até agora nada". Nota da Redação: Sobre a situação do mato alto na Praça Voluntário Benedito Evilásio de Freitas, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos informa que o espaço público já está na programação de março, que é quando as equipes chegarão à altura do Jardim Camila e farão os trabalhos necessários em todos os espaços públicos da região. Vale lembrar que neste período do ano, é natural que o mato cresça com mais rapidez, porém que as equipes seguem atuando diariamente, conforme cronograma e capacidade operacional. Já a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer informa que, frente à solicitação, o local será incluído nos estudos para próximas etapas de ampliação das Academias da Terceira Idade. No entanto, ainda não há previsão para novas unidades. Os moradores do Caputera têm como opções a ATI Jardim Camila (no Campo Água Verde), ATI Nova Bertioga (Rua Guaratu) e ATI Vila da Prata (Praça Januário Figueira da Silva).

FONTE: https://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/vc-no-g1-tvdiario/noticia/2017/02/moradores-reclamam-de-mato-e-falta-de-equipamentos-em-praca-de-mogi.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Anunciantes